Home
Artigos
Giro Noturno
Contato
Edições Anteriores

 

 

Promotora esteve em Cajuru e palestrou sobre o Aquífero

Da redação
Um final de tarde com muitas informações, e informações importantíssimas. Assim foi o evento promovido pela Secretaria Municipal de Educação que aconteceu no salão nobre do Colégio Galdino de Castro, na terça-feira (7/11), que reuniu dezenas de professores do município para ouvirem a promotora de justiça e representante do GAEMA Claudia Maria Lico Habib Tofano falar sobre o Aquífero Guarani.
A reunião foi aberta pela secretária de educação Isabel Ruggeri Ré e, em seguida, a promotora iniciou enfocando as questões legais que envolvem a proteção deste importante e transcontinental reservatório de água doce, que apesar das ameaças de contaminações que sofre é considerado uma reserva estratégica de água para o futuro.
A Ação Civil Pública, o olhar atento e fiscalizatório do Ministério Público no que se refere ao saneamento ambiental além do uso indiscriminado de agrotóxicos na região, inclusive em Cajuru, onde 89% do território é considerado área de recarga do Aquífero, também foi comentado pela promotora que não deixou de alertar da importância dos professores falarem com seus alunos sobre a importância do Aquífero, afinal eles pertencem à chamada “futura geração”.
Outro enfoque da palestra abordou os direitos e os deveres do poder público e da sociedade para manter o meio ambiente equilibrado. Nos últimos anos, vem se percebendo um rebaixamento muito acentuado do nível do Aquífero, resultante de uma extração de água maior que a recarga.
O engenheiro Olavo, que trabalha no GAEMA, mostrou croquis destacando a passagem do Aquífero pelo município de Cajuru, inclusive com as áreas demarcadas das bacias do Ribeirão Vermelho e Cubatão, hoje responsáveis pelo abastecimento da cidade.
Foi um final de tarde muito proveitoso para todos que lá tiveram a oportunidade de receberem informações tão valiosas, principalmente os professores que serão multiplicadores com o repasse do conhecimento aos seus alunos.