Home
Artigos
Giro Noturno
Contato
Edições Anteriores

 

 

Jovem foi assassinada em frente de sua casa e na presença da filha

O ex-companheiro não aceitava a separação e foi preso minutos após em flagrante por homicídio
Willian Rogério e Tamiris Cristina. A relação de um casal que terminou em tragédia
Da redação
O que poderia ter sido uma relação feliz entre um casal, uma separação culminou com a trágica e violenta morte de uma jovem mulher no início da noite da última terça-feira (21/11), na rua Horácio Roberto do Nascimento, do bairro Jardim Nova Cajuru, também conhecido como Bocão.
Era por volta das 19 horas quando Tamíris Cristina Lima Santos Reis, de 27 anos, saiu de casa na companhia da filha de seis anos de idade para comprar verdura de um vendedor que estava passando pela rua. Ao sair na calçada em frente de sua casa, se deparou com o ex-marido e pai de sua filha, Willian Rogério Nunes Freitas, de 30 anos. De acordo com relatos de testemunhas, Willian partiu para o ataque utilizando de uma faca.
Ele segurou Tamiris pelo braço e iniciou vários golpes no corpo da vítima que estava totalmente dominada. Além da filha, uma criança de seis anos, a violenta cena foi presenciada por várias pessoas que estavam na rua e que tentaram deter o agressor que fugiu a pé em direção ao bairro Jardim Maria Tereza (Piscina).
O SAMU-Serviço de Atendimento Móvel de Urgência fez o atendimento à vítima que infelizmente chegou a Santa Casa sem vida. Foram 7 facadas no total, sendo duas no braço, três no pulmão e duas no coração ocasionando hemorragia generalizada.
Com informações fornecidas pelas testemunhas das características e direção que o acusado tomou, uma equipe da Policia Militar obteve êxito na captura rápida na avenida Prefeito Rubens de Carvalho Ferreira. Muito embora já tinha lavado, Willian estava portando a faca que utilizou para matar a ex-esposa. Inicialmente ele negou, mas acabou confessando a autoria do crime.
O delegado titular de Cajuru, Rodrigo Patto autuou Willian em flagrante, por homicídio, e ele já foi submetido à audiência de custódia e encaminhado ao CDP-Centro de Detenção Provisória de Serra Azul.
Na delegacia de Cajuru, há várias ocorrências registradas envolvendo agressões que Tamiris sofreu no passado. Willian inclusive já foi preso por descumprir uma medida protetiva imposta a ele pela Lei Maria da Penha, além de ameaças e furto.
Tamiris morava com sua mãe Vera Lúcia do Santos, trabalhava como monitora na Creche Paula Vicentini há oito anos e estava cursando o primeiro semestre de pedagogia. Quando foi assassinada, ela estava desfrutando suas férias do trabalho.