Home
Artigos
Giro Noturno
Contato
Edições Anteriores
 

Moeda Verde de Santa Cruz é reconhecida internacionalmente

Da redação
Uma boa ideia e boa vontade política, estes foram os dois ingredientes responsáveis pelo projeto “Moeda Verde” implantado em 2016 pelo atual prefeito Dimar de Brito de Santa Cruz da Esperança e coordenado pela secretária de saúde, Geovana Biaggi e que está fazendo o maior sucesso na comunidade, na região, no estado e agora ganhando fama internacional.
No início, o objetivo era envolver os alunos em um projeto com impacto ambiental e que ao mesmo tempo reduzisse os criadouros do mosquito transmissor da Dengue. Aos poucos o projeto foi tomando corpo e atingindo os alunos, os adolescentes, adultos e idosos que começaram a trocar os materiais recicláveis pela moeda verde, que em seguida poderia ser usada no comércio da cidade.
No último mês o projeto arrecadou mais de um mil e oitocentos quilos de material reciclável, quase duas toneladas, que deixaram de ir para o aterro sanitário da cidade e se transformou em dinheiro revertido para os cidadãos.
Em função do sucesso do “Moeda verde” inclusive com uma grande reportagem exibida pela EPTV e em seguida pelo G1, Santa Cruz da Esperança já recebeu visitas de dezenas de representantes de outras cidades para conhecer o funcionamento do projeto, com a intenção de implantá-lo em seus municípios.
Esta semana, para valorizar ainda mais as boas práticas inovadoras implementadas pela atual administração de Santa Cruz da Esperança, o prefeito Dimar de Brito foi convidado, pela Associação Paulista dos Municípios, para apresentar o projeto Moeda Verde no Forum Econômico, que acontecerá nos próximos dias 9,10 e 11 de novembro em Lima no Peru.
Para este Fórum internacional, que é organizado pela LAMPA – Latim América Marketing Personality Award, além de Dimar de Brito, de Santa Cruz da Esperança, também foram convidados os prefeitos de Itanhaém, Itapetininga, Ourinhos e Ribeirão Preto.